A poupança, a produtividade e a riqueza das nações.

O capitalista, segundo H. de Soto, é o “agente econômico cuja função consiste, precisamente, em poupar”.

O ato de poupar coloca à disposição dos demais trabalhadores “os recursos que necessitam para subsistir enquanto durar o processo produtivo de que participam”, quer dizer, o capitalista é quem transforma a própria poupança em remuneração para os trabalhadores, especialmente daqueles dedicados às “etapas produtivas mais distantes do consumo final, ou seja, à produção de bens de capital”. 

Ler mais

Securitização e a crise mundial de crédito de 2007.

Os bancos essencialmente financiam seus empréstimos por meio de depósitos.

Os bancos americanos, contudo, descobriram em meados da década de 1960, segundo C. Hull, que “seria impossível atender a demanda por hipotecas residenciais por meio dos depósitos”, desenvolveu-se então o mercado de títulos lastreados em hipotecas.

Ler mais

O mínimo que você precisa saber sobre capital e bens de capital.

A condição necessária para “produzir bens de capital é a poupança”, segundo H. de Soto.

Os bens de capital são “as etapas intermediárias pelas quais o agente econômico passa antes de alcançar seus fins”, portanto facilmente conclui-se que os bens de capital são “recursos naturais, trabalho e tempo, todos eles combinados num processo empresarial”.

Ler mais